Seu lugar

Seu lugar / Your Place

Seu lugar / Your Place – work of art about women´s place in society and how amazing they are in transforming ordinary things into love, beauty and magic.

Este quadro foi mostrado pela primeira vez na Estonia em 2018.

Foi tema de exposição solo (sobre o universo feminino) no Museu de arte naïf Kondase Keskus, uma das melhores exposições que já tive o prazer de participar, feita esmero e mágica por pessoas maravilhosas.

O nome desta obra é “Seu lugar”, para tantas e tantas vezes que mulheres são humilhadas e sujeitadas a lugares e posições inferiores àquelas que elas realmente deveriam ocupar. O feminismo permitiu que as mulheres re-ocupassem seu lugar na sociedade. Na cozinha ou na presidência, nosso lugar é onde quer que queiramos estar.

E seja lá onde estivermos, transformaremos nossos espaços em locais cheio de amor, competência, beleza, inclusão, nutrição, eficiência, justiça, igualdade e mágica.

Quem nao entendeu nossa divindade ainda, não entendeu nada.

Nosso lugar é na vida.

 

I hope you get what you want

I see a lot of poverty in the world. Hunger at its worst, from food, to knowledge, to love, to humanity. Poor people, people with no means or resources, people with no chance of social ascention, people with no empathy and emotional connections; they have different origins, sources, but they boil down to the same kind of suffering: starvation, misery.

I feel sad and guilty when I see the world the way it is. I feel bad when I thrive in a world of hunger, apartheids and wars.

And yet, personally,  this was the happiest Christmas I have ever lived. I found true love and my son came to visit me in my new life. My son in my life, my love in my life, this much love makes me forget about all the odds and pain and adversities… At least for a while. And a while of happiness goes a long way. It calms down my troubled heart, mind and soul and allows me to recharge and carry on for a while longer. Love and happiness numbs our nerves on the inflicted pain on our skin and eyes.

For a moment, happiness allows me not to think about the misery and pain that devastates the world. For a moment, love allows me to be selfish enough to only live this moment and enjoy the meals, sofa snuggles, car rides, laughs and sunsets with my son and love.

And thats what I wish for you. That for a while, for a moment, even if a breaf one: whatever you wish comes true.

I wish you love, kindness, conscience, awareness, empathy, peace, food, presents, presence, I wish you whatever you need, whatever you want: I really hope you get it.
Merry christmas.

Feliz Natal.

Glædelig jul.

Hyvää Joulua.

Buon natale.

Feliz navidad.

Create your reality


Magic happens when we don’t have something and we create it.

We can look at things and comply with it or not.

Cloudy walls is a paint about creating your own reality.

About tenderness and self empowerment.

The green chair is hope and rest.

The served table is about self nourishment, self love.

The cat is the certainty that we are never completely alone.

The portrait is the new possibilities, the change.

The hat is self protection, self care.

She looks at her past, but takes a stand for her future.

She is sweet, loving, beautiful… But stands firm, on solid ground. 

She stands for what she believes and cares.

She exists and allows everyone else to exist too.

She is you, me, all of us.
Clowdy walls – acrylics on canvas board – 18×24 cm – AVAILABLE FOR SALE

6 paintings for Christmas

CHRISTMAS SALE!  SUPPORT INDEPENDENT ARTISTS!


6 pantings for Christmas.

18×24, acrylics on canvasboard, framed, 200€  Christmas sale: ONLY 150€

1- A new beginning

2- Everybody needs a hug

3- Six

4- Clowdy walls

5- Cat and Bee

6- Flowers

Get in touch today! ORIGINAL PIECES, UNIQUE OPORTUNITY!

In cotas we trust.


Januária sabia que pra gente dela não tinha moleza, não tinha trégua, não tinha perdão.

Januária foi estudar, a luz de velas ou ao relento. Com fome ou com sono.

Com fé ou com raiva. Januária tinha sonhos nos olhos e força no coração.

Nada nunca foi fácil para Januária. Nada.

Mas ela escolheu ler Freire do que escutar a voz romântica da miséria.

LM

( Escultura disponível / sculpture available)

Gossip

Things we say, matter

So we should think before we say it

How we say it

Why we say it

If it is true

If can help or harm anyone.

Misplaced words can hurt

They can change the course of events

They can ruin thoughts,

Moods, spirits

Situations, narratives

That otherwise, had a reason to be.

Things we say are can be damaging

Or they can be inspiring

They can devastate

Or build

Things we say matter

And if they don’t matter,

Perhaps

They shouldn’t be said at all.

LM
Things we say – gossip.

Painting available

Januária


Her name is Januária. 

She might look fragile but she is a beautiful, bold and fearless girl.

She carries a soul full of dreams and a heart full of love.

(Here starts a series of 3D works)
*****
Januária pode parecer frágil mas é na verdade muito valente.

Ela carrega consigo uma mala cheia de sonhos e tem a alma, o coração, os braços e os olhos repletos de amor.

( Escultura em massa de secagem a frio e pintura acrílica)

Sociedade e Humanidade

Solidarity

Quando é que o ser humano se tornou tão desumano?

Quando é que ele se tornou um ser temente 

a um deus que ele não vê

E um tirano aos seus iguais?

Seres que ele vê 

nascer e morrer 

por vezes por suas próprias mãos

Humildes servos de deus 

E senhores sem piedade, empatia ou compaixão 

por seu semelhante.

Sem justiça social, não há justiça alguma.

Quem não come, não raciocina

Quem tem frio, tem pressa

Quem não mora, não vive, não existe.

Deveríamos acreditar que quando um ser humano sofre, todos sofrem.

Mas ao invés disso, as pessoas são tão mesquinhas que, se alguém não tem,

O outro se sente mais poderoso, humilha, ignora, não se importa.

Eles não entendem que a dor do outro, ignorada, causa dor no outro, propositada

O medo que você tem de perder o que acha que conquistou sozinho

É proporcional ao risco de perder de fato, toda vez que alguém passa fome.

Se não por amor às humanidades, então por amor ao próprio egoísmo e ganância

Você deveria desejar a justiça social.

Considerar os mais pobres, os vulneráveis.

Se não dói em você a dor do outro, algo em você morreu afogado no mar da ignorância

Seu ego, sozinho, não sobreviveria um só dia na dor do outro.

Humanismo e socialismo se misturam, se confundem porque ambos prezam por pessoas.

Não adianta amar as artes, os animais, os seus filhos e odiar o socialismo

Uma coisa exclui a outra e a exclusão é a raiz de todo o mal

Socialismo não exclui seu lucro ou capital, 

nem tira nada que seja de fato seu

Socialismo e humanismo fazem possível a sobrevivência material do todo

apesar das diferenças individuais, de circunstâncias, de forças

Socialismo preserva, constrói, estrutura a sociedade

O humanismo cuida e dá sentido a humanidade

E a sociedade, a humanidade, somos nós, todos, sem exceção.

Devemos parar de supor e começar a aprender

Parar de repetir erros e buscar entender.

Devemos dar uma chance ao humanismo.

Se faz necessário interromper a barbárie.

Porque o oposto da revolução, é o silêncio omisso.

 

 

Some feelings are better left untranslated.

“It is imperative to interrupt the barbarity.

Because the opposite of revolution 

is our omissive silence.”

Luciana Mariano

Sobre lugares na história. Or: the cat in the bathroom.


(Texto em português abaixo)
About this painting: 
Life is taking me for quite a ride.

One day I find the love of my life, the other day my country become a hostile territory ruled by a mad man. Things that are apparently unconnected but everything has some common ground. 
This is the first time I make a painting to my home.

I wanted a painting in the toilet.

A cozy painting of a toilet.

There is a nice bathtube, towels, soaps, paintings on the wall, curtains and a window with a peaceful view, a sink and obviously a potty. It is cute and silly. It is a clean and safe place where people can sit and relax while doing their business. People will watch and be watched: there is a cat in the middle of the painting. In this personal metaphor the bathroom represents the comfort of finally having your own space to live and care for, while the cat is the owner, the user, the keeper and the guardian of the space that he finally can call home.
But the painting is also symbolic.

It’s the place where you “let go”. 

The place that you put out your excrements.

This painting could represent the whole contemporary moment of a country. An ambiance where everything looks satisfactory, but it is a sad representation of a whole home. It is a place to wash, but nothing is being washed. It is a place where every day a lot of sh*t is being done, deposited, spoken and exposed without any restriction, criteria nor shame. A country that allows massive defecation without due care, could soon be clogged, flooded, interdicted and ruined. A country, should not be turned in to a toilet by it’s government. Once again, it had everything to be put into good use and become a healthy, comfortable part of a good home. But if the cat sits there, in the middle, and does nothing, soon not even the cats will be able to live that environment. In this metaphor the bathroom is a country and the cat is its people. 
The narratives of my paintings are quite open. You can enjoy it or not, you can like it or not, but it is always up to the viewer to figure out where this place really is and how the characters will react to the story. I know what I want for my story and what I need to do to get there (I am there, indeed) I just hope the people from that country realize soon enough that just sitting and watching will not be enough.
PORTUGUÊS:
A vida está me levando para um interessante passeio.

Um dia encontro o amor da minha vida, no outro dia meu país se torna um território hostil governado por um louco. Coisas que aparentemente não estão conectadas, mas tudo na vida tem algum ponto em comum.
Esta é a primeira vez que faço uma pintura na minha casa.

Eu queria uma pintura no banheiro.

Uma pintura aconchegante de um banheiro.

Há uma banheira agradável, toalhas, sabonetes, quadros na parede, cortinas e uma janela com uma vista tranquila, uma pia e, obviamente, uma privada. É fofo e bobo. É um lugar limpo e seguro, onde as pessoas podem se sentar e relaxar enquanto cumprem seus afazeres biológicos. As pessoas vão ver e serem vistas: há um gato no meio da pintura. Nessa metáfora pessoal, o banheiro representa o conforto de finalmente ter seu próprio espaço para viver e cuidar, enquanto o gato é o dono, o usuário, o guardião e o mantenedor do espaço que ele finalmente pode chamar de lar.
Mas a pintura também é simbólica.

É o lugar onde você se desprende do que não precisa e “deixa ir”.

O lugar que você põe para fora seus excrementos.

Esta pintura pode representar o momento contemporâneo de todo um país. Um ambiente onde tudo é aparentemente satisfatório, mas é uma representação triste de uma casa inteira. É um lugar para lavar, mas nada está sendo lavado. É um lugar onde todo dia muita merda está sendo feita, depositada, falada e exposta sem qualquer restrição, critério ou vergonha. Um país que permite vergonhosa defecação sem o devido cuidado, poderá em breve estar entupido, inundado, interditado e arruinado. Um país, não deve se tornar a latrina suja ou o banheiro de seu governo. Mais uma vez, tinha tudo para ser usado para ser parte saudável e confortável de um bom lar. Mas se o gato está lá, no meio, e não faz nada, em breve nem os gatos poderão viver esse ambiente. Nesta metáfora o banheiro é um país e o gato é o seu povo.
As narrativas das minhas pinturas são bastante abertas. Você pode curtir ou não, você pode gostar ou não, mas é sempre o espectador que decide qual é este lugar e como os personagens vão reagir à estória. Eu sei o que eu quero para a minha história e o que eu preciso fazer para chegar lá (de fato, eu já estou lá). Eu só espero que as pessoas daquele país percebam em breve que apenas sentar e assistir não está sendo o suficiente.
Luciana Mariano, all rights reserved.

Emílias


Emília, de Monteiro Lobato era uma boneca de pano viva graças ao pó de pirlimpimpim. Minha Emilia é uma boneca morena, franzina, de olhos tristes e bochechas sorridentes, que sobrevive aos perigos da sociedade, do racismo, da misoginia, do feminicidio, da pobreza e se reinventa, se repara, se remenda e sobrevive, todos os dias. 

Emilia is a character from a famous Brazilian tale written by Monteiro Lobato. She is a hand-made cloth doll who came to life due a magical powder. My Emilia dares to be much more than that. She is a dark skinned doll with sad eyes and a cheeky smile, she is a surviver, someone that puts up with all dangers of society, racism, bigotry, misogyny, feminicide, poverty and yet reinvents herself, repairs her cuts, sew her patches, recovers her wholeness and survives, every day.
Emilia – 30×30 – acrylics on canvas – 2019 – SOLD