cat

Create your reality


Magic happens when we don’t have something and we create it.

We can look at things and comply with it or not.

Cloudy walls is a paint about creating your own reality.

About tenderness and self empowerment.

The green chair is hope and rest.

The served table is about self nourishment, self love.

The cat is the certainty that we are never completely alone.

The portrait is the new possibilities, the change.

The hat is self protection, self care.

She looks at her past, but takes a stand for her future.

She is sweet, loving, beautiful… But stands firm, on solid ground. 

She stands for what she believes and cares.

She exists and allows everyone else to exist too.

She is you, me, all of us.
Clowdy walls – acrylics on canvas board – 18×24 cm – AVAILABLE FOR SALE

Sobre lugares na história. Or: the cat in the bathroom.


(Texto em português abaixo)
About this painting: 
Life is taking me for quite a ride.

One day I find the love of my life, the other day my country become a hostile territory ruled by a mad man. Things that are apparently unconnected but everything has some common ground. 
This is the first time I make a painting to my home.

I wanted a painting in the toilet.

A cozy painting of a toilet.

There is a nice bathtube, towels, soaps, paintings on the wall, curtains and a window with a peaceful view, a sink and obviously a potty. It is cute and silly. It is a clean and safe place where people can sit and relax while doing their business. People will watch and be watched: there is a cat in the middle of the painting. In this personal metaphor the bathroom represents the comfort of finally having your own space to live and care for, while the cat is the owner, the user, the keeper and the guardian of the space that he finally can call home.
But the painting is also symbolic.

It’s the place where you “let go”. 

The place that you put out your excrements.

This painting could represent the whole contemporary moment of a country. An ambiance where everything looks satisfactory, but it is a sad representation of a whole home. It is a place to wash, but nothing is being washed. It is a place where every day a lot of sh*t is being done, deposited, spoken and exposed without any restriction, criteria nor shame. A country that allows massive defecation without due care, could soon be clogged, flooded, interdicted and ruined. A country, should not be turned in to a toilet by it’s government. Once again, it had everything to be put into good use and become a healthy, comfortable part of a good home. But if the cat sits there, in the middle, and does nothing, soon not even the cats will be able to live that environment. In this metaphor the bathroom is a country and the cat is its people. 
The narratives of my paintings are quite open. You can enjoy it or not, you can like it or not, but it is always up to the viewer to figure out where this place really is and how the characters will react to the story. I know what I want for my story and what I need to do to get there (I am there, indeed) I just hope the people from that country realize soon enough that just sitting and watching will not be enough.
PORTUGUÊS:
A vida está me levando para um interessante passeio.

Um dia encontro o amor da minha vida, no outro dia meu país se torna um território hostil governado por um louco. Coisas que aparentemente não estão conectadas, mas tudo na vida tem algum ponto em comum.
Esta é a primeira vez que faço uma pintura na minha casa.

Eu queria uma pintura no banheiro.

Uma pintura aconchegante de um banheiro.

Há uma banheira agradável, toalhas, sabonetes, quadros na parede, cortinas e uma janela com uma vista tranquila, uma pia e, obviamente, uma privada. É fofo e bobo. É um lugar limpo e seguro, onde as pessoas podem se sentar e relaxar enquanto cumprem seus afazeres biológicos. As pessoas vão ver e serem vistas: há um gato no meio da pintura. Nessa metáfora pessoal, o banheiro representa o conforto de finalmente ter seu próprio espaço para viver e cuidar, enquanto o gato é o dono, o usuário, o guardião e o mantenedor do espaço que ele finalmente pode chamar de lar.
Mas a pintura também é simbólica.

É o lugar onde você se desprende do que não precisa e “deixa ir”.

O lugar que você põe para fora seus excrementos.

Esta pintura pode representar o momento contemporâneo de todo um país. Um ambiente onde tudo é aparentemente satisfatório, mas é uma representação triste de uma casa inteira. É um lugar para lavar, mas nada está sendo lavado. É um lugar onde todo dia muita merda está sendo feita, depositada, falada e exposta sem qualquer restrição, critério ou vergonha. Um país que permite vergonhosa defecação sem o devido cuidado, poderá em breve estar entupido, inundado, interditado e arruinado. Um país, não deve se tornar a latrina suja ou o banheiro de seu governo. Mais uma vez, tinha tudo para ser usado para ser parte saudável e confortável de um bom lar. Mas se o gato está lá, no meio, e não faz nada, em breve nem os gatos poderão viver esse ambiente. Nesta metáfora o banheiro é um país e o gato é o seu povo.
As narrativas das minhas pinturas são bastante abertas. Você pode curtir ou não, você pode gostar ou não, mas é sempre o espectador que decide qual é este lugar e como os personagens vão reagir à estória. Eu sei o que eu quero para a minha história e o que eu preciso fazer para chegar lá (de fato, eu já estou lá). Eu só espero que as pessoas daquele país percebam em breve que apenas sentar e assistir não está sendo o suficiente.
Luciana Mariano, all rights reserved.

Saudade

18x24, acrilics on canvas board, Original painting available for sale 

Esse post é uma mensagem.

Um recado, uma dica, um apelo.

Esse post declara, constata, conclui e reinvindica seu abraço.

Esse abraço é meu e ele sempre foi seu. Sempre vai ser, desde antes de você nascer.

Com os olhos fechados eu sonho com a sua proximidade, imagino que o vazio entre meus braços, um dia, se inundem com a sua presença. Espero resiliente, acalmando em silêncio a minha impaciência. Longe do filho, fico meio longe de mim. Espero, mas a esperança também pede por você, pelo seu abraço, seu sorriso lindo, seu jeito de quem não gosta e nem precisa, mas quer, todo mundo quer um amor assim, tão imenso, incondicional. Te preciso, sempre. 

Te abraço com um oceano no meio, dias e noites de saudade, que não acabam nunca, nem quando seu abraço chegar, ainda então vou precisar.

Porque esse amor invade e transborda.

Me ocupa as mãos, os braços, os olhos, o coração.

Te abraço filho, todos os dias.

Te amo filho, para sempre.

Saudade é só detalhe; o amor é bem maior que ela.
Para meu filho.

Luciana Mariano

Purple


A purple cat perhaps

can stand

For whatever differences

We may represent

In this ecological

Diverse

world.

Our uniquenesses

our ideas

and battles

Often speak louder

Than our loudest

Repeated words.

Not easy to live

In a society where

So many speak

But so few say anything

That is worth 

listening.

Colors yell.

They Play

They Whisper

while screaming,

secretly

what they really

want to 

Show.

Even the simplest

And most naive

Purple

Painted cat

Can

Some times

Say: odd is good.

Our differences makes us special

Lovable

Beautiful.

Magical.

free

Empathy for these differences

Makes us better

And allows us

To exist

In a better

Kinder

Softer 

possible world.

Cat love

You know the quality of a friend in the moments you have least to offer.

He can pick you up, clean, feed and hold you or he can close the dumpster.

It is very easy to be friends with someone with a nice home and car, large swimming pool and a fridge full of beer. It is easy to be friends with someone that always pleases you and brings you a certain status, benefits, easy talks, give and take, a shallow but satisfying, light approach.

It is not easy to get your hands dirty and put up with the ugly sides (or moments) of someone. Not easy to face someone’s pain and have the patience to sit beside him in silence, or even lay down on the ground with him for a while, just so he knows you understand (or not) and he is not alone. That’s what makes a real friend. That’s how you know what kind of a friend you have got, what kind of a friend you are. 

It’s easy to wiggle the tale.

But it’s the silent healing friendship that counts and makes a difference.

Cat love is not shown but felt.

No fuzz nor advertisement.

It is just there.

Des-Humano

20121023-163046.jpg

O vazio, nem sempre é desabitado.
Existem as cores
Os móveis
Os gatos
Que povoam o nada como se fossem tudo.
Como os únicos merecedores
De todo e qualquer lugar.

Ali não há ninguém para chamar o mundo de seu
Nenhum bandeirante para dizimar nenhuma raça.
Os homens são extremamente desnecessários
Quando se trata de paz e harmonia.

O espaço
A quietude
Não é desprovida de movimento
Nem sofre de melancolia.
A vida, mesmo que no silêncio dos cômodos
Não vê nenhum incômodo
Nenhuma falta
Nenhuma apatia
Na ausência.

Ultimamente
Nada anda mais desumano
Do que a figura humana.

Que reinem soberanos
Os gatos
Os móveis
E o vazio,
Repleto de cores.

Gato e rato

A proporção é a desproporção. Quem nunca se sentiu acoado? Quem nunca se sentiu injustiçado? Quem nunca se sentiu pequeno demais e sem forças?

Alguns por sarcasmo, outros por instinto, outros até por motivos alheios a compreensão humana, mostram-se nos bichos que realmente são.

Matar formigas com canhão. Já ouviu este ditado? Pois é, ele não existe. Mas embora ignorantemente inventado, ele expressa o esforço desesperado, inútil e ingênuo de tentar acabar com um mal que se infiltra  egoísta e sorrateiramente, tentando dominar uma situação. Na verdade, um gigantesco e inútil estorvo , massacrando a ínfima fração de um exército, mas sem a menor chance de eliminar o verdadeiro inimigo.

Instinto de sobrevivência todos têm. Todos precisam ter, enquanto ainda somos seres selvagens e rudimentares! Mas o instinto covarde de eliminar o outro por capricho, por sadismo ou vaidade, este eu não entendo. Nem acho que quero entender…

[…]

Que tipo de bicho você é?