brasil

Viola enluarada

image

Música inspira minha arte. Às vezes uma música me faz imaginar um quadro, outras a imagem me lembra uma canção. Geralmente música clássica me inspira em cores, mas o humor e o tema também são envolvidos e misturados por melodias das mais diversas. Almas sensíveis são normalmente tocadas pelo entorno, artistas, acredito, têm pele a menos e terminações nervosas a mais, porque as coisas nos invadem, tudo nos toca, algumas nos afligem, outras nos submergem. Nos afogamos facilmente pelas emoções, do amor à tristeza, toda agua é mar e todo mar é vasto, profundo.
A situação política no Brasil me devasta. Ver pequenas e frágeis conquistas sociais serem pulverizadas como estão sendo, me dá a sensação de que o mal é maior que o bem e que o egoísmo, a ignorância e a ganância são os sentimentos mais presentes na já empobrecida raça humana. Belchior escreveu e Elis cantou: “eles venceram e o sinal está fechado pra nós…”
A única coisa que me consola é a arte. Por ela pode-se denunciar abusos, indicar tiranias, questionar posturas, gritar injustiças, sussurrar dores, até mesmo quando se pinta uma flor ou se canta sobre o pó da estrada. A angústia do artista é tão necessária quanto a empatia pelo próximo. A capacidade de indignar-se diante do mal é a mesma que pinta escancarados e sutis horrores da existência. A arte protesta mas também vislumbra, cria, recorda momentos ideais, tempos bons, memórias saudáveis. A arte pode denunciar mas também pode fazer sonhar com aquilo que
Ainda não está, mas é possivel.
A belíssima música “Viola enluarada” (de Marcos Valle) me acompanhou na criação deste quadro, com sua doce mas profunda poesia. Ouvi várias vezes enquanto pintava. Na inocência dos elementos pintados, a canção martelava-me a alma: “A mão que toca o violão, se for preciso faz a guerra… Liberdade”
Precisamos de mais mãos, de mais igualdade, mais liberdade. Precisamos de festas juninas onde todos tenham o direito de dançar, brincar, comer, existir.
Em tempos de muitas trevas é preciso criar estrelas.
Em tempos com tão poucos motivos para festejar, é preciso trazer música, cor, brincadeira, dança, generosidade, igualdade, amor e cor à vida.
Senão houver memória que pelo menos haja sonho.
E se não conseguirmos sonhar que ao menos existam telas e músicas cheias de cor e poesia para que consigamos apaziguar a alma e seguirmos, perseverando, sem temer.

 

OBRA DISPONÍVEL PARA VENDA: “Festa Junina” – junho/2017 – Luciana Mariano ©

Advertisements

Feira Livre


Esta é uma feira livre. Feira livre na maior cidade do Brasil. São Paulo está a venda. O Brasil está a venda. Os pretos e pobres vão voltar aos seus lugares. O governador “Santo” não vai ouvir uma única panela bater. O prefeitinho sonegador nao faz ciclovia, ele vende o Ibirapuera. Eles næo ganharam pra presidente, mas o advogado do PCC, filiado do PSDB ganhou… E vai garantir a sangria, a suruba, a privataria solta. O juizeco da Globo tem sede, ódio, perseguição…e as mocinhas alienadas aplaudem. O ensino médio agora não precisa de arte, geografia, história…fodam-se. Meus filhos fazem colégio particular.  O importante é não faltar brioche. O importante é reestabelecer a ordem suja de tudo que sempre foi. O importante é não ter favelado em aeroporto, universidade. Venceu a meritocracia. Viva as lindas porcelanas e bibelôs de vidro. As dondocas vão continuar tomando seus chazinhos com as amigas. As diferenciadas vão continuar fornicando homens casados em nome de deus, da moral e bons costumes. Você é mimada, errou e não pede desculpa. Voto não é brincadeira. Democracia não é brincadeira. Você não sabe o que é democracia. Você nunca precisou dela, porque o papai pagou tudo pra você. Mas deixa pra lá… Mágoa não move moínhos. E no final da feira os esfomeados vão limpar as ruas por vocês.
DID YOU KNOW???

Brazil is on sale. Brazilian corrupt politicians, drug and media lords managed to put down a democratic government to establish the neo liberalism agenda, sell all our natural resouces and assets and destroy all the social improvement our society had achieved with Lula and Dilma. A silent war is occuring in Brazil and the international media doesn’t give a shit.

Bière, chocolat, gaufres et art naïf!

20130802-145231.jpg

Looking forward for all the good in Belgium!

Good beer
Good chocolate
Good waffles
Good people
And good ART NAÏF!

See you there!

from 18/August to 6/september
Biennale d’ Art Naïf
Maison Communale d’Evere
Square Hoedemackers 10
Evere – Belgium

° sexta-feira ° friday ° fredag ° venerdi °

5OSKJD~2

Maria

Castro Alves

Onde vais à tardezinha,
Mucama tão bonitinha,
Morena flor do sertão?
A grama um beijo te furta
Por baixo da saia curta,
Que a perna te esconde em vão…

Mimosa flor das escravas!
O bando das rolas bravas
Voou com medo de ti!…
Levas hoje algum segredo…
Pois te voltaste com medo
Ao grito do bem-te-vi!

Serão amores deveras?
Ah! Quem dessas primaveras
Pudesse a flor apanhar!
E contigo, ao tom d’aragem,
Sonhar na rede selvagem…
À sombra do azul palmar!

Bem feliz quem na viola
Te ouvisse a moda espanhola
Da lua ao frouxo clarão…
Com a luz dos astros — por círios,
Por leito — um leito de lírios…
E por tenda — a solidão!